Medicina 5.0: mudança do mindset, priorização da humanização e investimento na inovação
23/02/2021

Desde 2011, os estudantes à época, Lucas Cottini e Guilherme Weigert já pensavam a frente de seu tempo. Com a necessidade de um aprendizado moderno e prático, nasceu o Jaleko. Considerado como uma “Netflix” da medicina, a startup, que faz parte da empresa Artmed, é especializada em educação continuada para saúde, disponibiliza cursos multidisciplinares que preenchem as lacunas de assuntos pouco abordados no currículo tradicional da área médica. Temas que englobam inovações, finanças, empreendedorismo, carreira e gestão são lições importantes que estão no centro das buscas dos profissionais que querem estar alinhados ao que há de novo, ao mesmo tempo em que agregam valor ao setor e entregam qualidade ao paciente.

Por meio do módulo Saúde Inova, os alunos têm acesso a cursos com conteúdos provenientes de metodologias de gestão de qualidade à humanização do atendimento. Atualizados sobre os impactos da transformação digital na saúde, telemedicina, inteligência artificial e 5G, com foco em ecossistemas de inovação de países como Estados Unidos, Europa e Israel, os estudantes passam por uma total adaptação à realidade do novo mercado de trabalho.

Lucas Cottini, diretor de novos negócios da Artmed, parte da Health Edtech do Grupo A, que recentemente abarcou o Jaleko, ressalta que “além de agregar conhecimento, o Jaleko proporciona uma constante evolução ao setor da saúde. Estamos falando em mais de meio milhão de acessos por mês, além de Universidades, como a UERJ e a Estácio de Sá. Um crescimento de 80% em meio a pandemia, apenas em 2020”.

 

Ainda, segundo a Dra. Ana Vincenzi, médica empreendedora e responsável pelo curso Médico 5.0 do Jaleko, alguns conceitos da medicina do futuro como Lean Healthcare, flexibilidade, resolutividade e até mesmo lições do Vale do Silício podem mudar a jornada de um profissional.

 Veja abaixo 3 lições, do Vale do Silício, que a Dra. Vincenzi ensina aos alunos do Jaleko:

  • O Vale do Silício tem 03 grandes características que o tornam o maior ecossistema de inovação do mundo e o acadêmico de medicina tem muito a aprender com ele. A começar pela Rebeldia das pessoas, que são nitidamente marcadas pela inconformação e pela vontade de mudar o mundo. Comece saindo da sua zona de conforto na graduação: adquirindo novos conhecimentos e buscando soluções para as coisas com as quais você se sente insatisfeito. Monte uma liga, aprimore seus conhecimentos sobre inovação, entenda o mercado da saúde, entenda o impacto da Inteligência Artificial na produção de artigos científicos, melhore seu currículo. O segundo grande pilar é o O Vale é berço de grandes Universidades que levam o conhecimento científico e ajudam a atrair e formar capital humano de qualidade. E essa é uma das maiores lições para o acadêmico de medicina: conhecimento é poder. Seja um médico bem formado, que domina com excelência a teoria e a prática, valorize o conhecimento. Busque materiais extracurriculares e tenha senso crítico. O médico é obrigado a ser tecnicamente bom na sua prática clínica. O terceiro pilar é o Capital Financeiro, o ecossistema da Baia de São Francisco é ser umas das regiões de maior poder financeiro do mundo porque concentra capital financeiro e consegue atrair investidores, tecnologia de ponta e grandes mentes. O Acadêmico de medicina precisa começar a compreender o mercado da Saúde, as principais tendências globais do cenário E-health. Telemedicina, IA, Realidade Virtual e Aumentada, bem como a Blockchain também precisam ser as novas palavras de ordem para o aluno pensar na sua atuação profissional dentro da especialidade.
     
  • Um grande outro grande insight do “startup style” que transformou o meu mindset foi o conceito de MVP é a sigla do inglês para “Minimum Viable Product”, ou seja, o produto minimamente viável. E o que isso significa: que uma ideia não precisa estar perfeita para começar a ser executada. Menos medo de errar, menos medo críticas e mais ação. Você tem vontade de fundar uma liga acadêmica de um assunto do seu interesse: vá atrás de colegas e professores interessados e com as condições que você tem no momento, comece. Aos poucos você vai lapidando. A cultura do perfeccionismo nos deixa estagnados. Um belo exemplo disso é que se Steve Jobs tivesse esperado o Iphone perfeito para lançar, não teria lançado até hoje. Dê o primeiro passo, com as ferramentas que você tem e depois melhore. Vence quem executa. Se você esperar as CNPT (quem estudou física no cursinho, vai se lembrar do conceito) e seu produto ou ideia estiverem perfeitos, é porque você demorou demais.
     
  • A terceira grande lição do maior ecossistema de inovação do mundo foi que networking vale mais do que dinheiro. Networking é a sua rede de contatos. E para gerar bons relacionamentos você precisa estar aberto a compartilhar suas ideias, conversar com pessoas de outros segmentos do mercado, ter habilidades de comunicação e uma outra gama de soft skills que vão te ajudar a subir para o próximo nível. Ninguém faz nada grandioso sozinho e a habilidade de gerar uma rede de conexões estratégicas é um diferencial. Extrapole o seu pequeno grupinho de amigos da faculdade e se conecte com pessoas com habilidades diferentes da sua. Com uma mente aberta a novas ideias e uma rede de contatos como suporte ao desenvolvimento de qualquer projeto, ideia ou atividade tem chances muito maiores de prosperar.




Obrigado por comentar!
Erro!
Contato
+55 11 3044 4440
+55 11 3045 5173
Av. Rouxinol, 84, cj. 92
Indianópolis - São Paulo/SP