Na Qualicorp, reajuste de planos deve ir a 20%
12/05/2022

A Qualicorp, maior administradora de planos de saúde por adesão do país, prevê reajustes entre 19% e 20% nos contratos com vencimento na metade do ano, período de aniversário da maior parte dos convênios médicos ofertada pela companhia. O percentual é o dobro da inflação (IPCA) apurada no ano passado. 

Esse patamar de reajuste pode levar a uma nova onda de cancelamentos de planos de saúde no segundo semestre. Nos três primeiros meses do ano, quando o aumento nas mensalidades dos convênios médicos variou de 12% a 15%, a Quali registrou 131,2 mil cancelamentos, um volume maior do que os 115,2 mil novos contratos. Com isso, a carteira da companhia encerrou o trimestre com uma perda de 16 mil usuários. 

 

Diante desse cenário, as ações da companhia fecharam o pregão de ontem com queda de 13,30%. 

A estimativa do mercado é que os planos individuais, que são regulados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), tenham um aumento na casa dos 16%. Já na modalidade empresarial, as operadoras vêm pedindo reajustes de até 30%. No segmento corporativo, há livre negociação e os percentuais efetivamente praticados variam conforme a empresa. 

Segundo Elton Carluci, vice-presidente comercial, estratégia, inovação e novos negócio da Qualicorp, o reajuste na casa dos 20% é semelhante ao que vem sendo adotado em planos de saúde PME (pequenas e médias empresas), categoria que concorre com os convênios médicos por adesão. 

“O nosso maior desafio é o ambiente macroeconômico. Criamos uma série de ações e estamos sendo mais flexíveis com clientes que já ficaram inadimplentes e querem retomar o plano”, disse o executivo da Qualicorp, que realizou ontem teleconferência para analistas e investidores. 

A empresa registrou, no primeiro trimestre deste ano, um lucro líquido de R$ 74 milhões, uma queda de 35,3% sobre o mesmo período de 2021. 

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 252,8 milhões, o que representa uma redução de 9,2%. A margem do respectivo indicador caiu 2,88 pontos percentuais para 50,3% no período. A receita líquida recuou 4% ficando em R$ 502,2 milhões nos três primeiros meses do ano. 

A Quali anunciou que seu conselho de administração aprovou a captação de até R$ 1,7 bilhão em dívida de longo prazo para alongamento de passivos de curto prazo. Esse financiamento deve ser concluído no segundo trimestre. 

Fonte: Valor




Obrigado por comentar!
Erro!
Contato
+55 11 3044 4440
+55 11 3045 5173
Av. Rouxinol, 84, cj. 92
Indianópolis - São Paulo/SP