Defesa do consumidor - Planos de Saúde
10/09/2018
Ministério Público do Rio, Defensoria Pública do estado, Procon-SP e Idec defendem limite de 25% de franquia e coparticipação para os planos de saúde, e o não pagamento pelo usuário de qualquer percentual em casos de emergência e internação. 

Já as empresas propõem que se estabeleça um limite de cobrança mensal para gastos de coparticipação, mas que não haja regulamentação para o percentual a ser cobrado por procedimentos médicos. 

As sugestões foram feitas em audiência pública convocada pela Agência Nacional de Saúde (ANS) para discutir o tema, após ser suspensa, mês passado, a resolução que previa teto de 40% para coparticipação.
 
Fonte: O Globo




Obrigado por comentar!
Erro!
Contato
+55 11 3044 4440
+55 11 3045 5173
Av. Rouxinol, 84, cj. 92
Indianópolis - São Paulo/SP