Tecnologia acessível estimula a criação de programas de fidelidade
28/09/2018
A chance de ganhar um barril de chope é um dos atrativos para os clientes do bar La Fraternité, em São Paulo, especializado em cervejas artesanais. Com duas unidades, o estabelecimento usa software criado pela Fidelizii para conhecer seus clientes, premiar os melhores e fazer promoções para resgatar os afastados. De quebra, quem se identifica na chegada registrando o CPF na tela do tablet disponível ao lado do caixa pode girar uma roleta virtual e obter na hora prêmios de vão de balas e abridores de garrafas até o almejado barril.

"O sistema permite trabalhar na manutenção e na recuperação de clientes", diz um dos sócios do bar, William Seiti Okada.

O aumento na oferta de aplicativos para fidelização e relacionamento com o cliente deixou a estratégia mais acessível às pequenas e médias empresas. A Fidelizii, por exemplo, cobra a partir de R$ 159 mensais pela solução.

Lançada em 2014, a empresa atende hoje 600 lojas em todo o país, incluindo marcas como Subway, Hering e Chiquinho Sorvetes, diz o diretor comercial e sócio da Fidelizii, Vitor Kosaka.

O celular também ajuda a estimular os clientes. Os clientes da Full Points, por exemplo, podem oferecer um aplicativo para promover interação e engajamento em seus programas de fidelidade. A startup criou uma plataforma de fidelização com algoritmos para analisar o comportamento de consumo dos clientes e indicar produtos e promoções, tanto na loja física ou digital quanto por ações de marketing digital, e-mail, SMS ou notificações no celular.

Além de acompanhar saldo e histórico de movimentação, o consumidor pode fazer compras pelo aplicativo e, com tecnologia de business inteligente, o lojista analisa os resultados de dados gerados. O sistema é usado por mais de 500 pontos de venda, principalmente do varejo farmacêutico - incluindo marcas como Ultrafarma e Farmais. Já tem mais de 2 milhões de consumidores ativos, aqueles que já compraram ou se identificaram durante a compra, segundo Marcelo Guidugli, CEO da Procfit. A empresa é especializada em sistemas de gestão comercial e automação e no ano passado investiu R$ 500 mil na Full Points.

A Cashback tem oferta mais ambiciosa. Além de sistema para programa de fidelidade e relacionamento, criou uma comunidade de compras mundial, Cashback World, que já alcança 47 países, 120 mil empresas e 11 milhões de consumidores afiliados, que acumulam benefícios como retorno de até 5% dos valores gastos e pontos para aproveitar ofertas especiais de empresas participantes. O interessado pode escolher entre três pacotes de participação.

Com pagamento único de R$ 699, o Light dá direito ao credenciamento de um ponto de aceitação, presença na comunidade e promoções no aplicativo do consumidor e no site, além de vendas para as demais empresas participantes. O Basic custa R$ 1.749, com mensalidades de R$ 69,90, com direito a promoções mais agressivas e visão de estatísticas como o comportamento de compras do cliente.

Já o Professional, por R$ 2.799 e mensalidades de R$ 174,90, inclui banco de dados de CRM e módulos estatísticos avançados, detalha Davi Damazio, diretor geral da myWorld, operador da Cashback World no Brasil.

O sistema para premiar o consumidor com um percentual da compra e criar ofertas com base em seu comportamento atraiu o dono da padaria Fortaleza, de Blumenau (SC), Junior Borges. "O cliente baixa o aplicativo e fica sabendo onde usar o benefício em empresas próximas", diz.

Hoje, só na cidade, são 120 empresas parceiras e cerca de 10 mil usuários. Segundo Junior, o tíquete médio do cliente fidelizado aumentou cerca de 20%.
 
Fonte: Valor




Obrigado por comentar!
Erro!
Contato
+55 11 3044 4440
+55 11 3045 5173
Av. Rouxinol, 84, cj. 92
Indianópolis - São Paulo/SP