População envelhece e cria desafio para a saúde pública
04/07/2019

A previsão é que, em 2029, o total de brasileiros com mais de 60 anos ultrapasse, pela primeira vez, a quantidade daqueles até 14 anos, aponta o IBGE.

Venâncio Aires é hoje um dos possíveis retratos do Brasil do futuro. Não pelo avanço tecnológico e nem pela integração de diferentes etnias, que torna a cidade um símbolo em solidariedade. O que a torna futurista é o fato de concentrar uma população cada vez mais idosa e aposentada. Atualmente, 14,3% da população, estimada em 71.117 habitantes, – de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – possui mais de 60 anos. Acima da média brasileira, que no ano passado foi de 13%.

Basta dar uma volta nas principais ruas e nas praças centrais da cidade para constatar que são muitas as pessoas de mais de 60 anos que circulam nesses espaços diariamente. Embora a cidade tenha um Produto Interno Bruto (PIB) per capita 20% acima da média nacional – alcançando R$ 39.533,53 -, a cidade já enfrenta os desafios de uma população que se torna cada dia mais velha e acumula um grande número de aposentados.

O município tem uma cobertura de 64% de atenção primária na saúde, realizada em 26 unidades básicas, e algumas especialidades de média complexidade, atendidas diretamente na rede local (que inclui Hospital São Sebastião Mártir e UPA) ou em outros centros de referência da região.

Hoje, a cidade gasta 22% da arrecadação em saúde, quando o mínimo constitucional é de apenas 15%, informa secretário de Saúde de Venâncio Aires, Ramon Schwengber. Mas mesmo assim o investimento ainda está aquém do ideal.

Paralelo a isso trabalha-se para postergar a demanda por serviços de saúde. A cidade realiza atividades sociais e de recreação – como danças, passeios, voluntariado — para incentivar seus moradores a ter uma vida ativa e melhor. Além disso, Capital Nacional do Chimarrão conta com 25 grupos de terceira idade e eventos voltados para essa faixa etária todos os fins de semana. Atualmente, o município conta com apenas uma instituição de longa permanência para idosos – o Lar Novo Horizonte. O espaço atende há 26 anos no no bairro Bela Vista. Atualmente 49 idosos lá são atendidos, contudo a demanda municipal é maior.

Centro de Convivência do Idoso está em formação

A partir de emenda parlamentar no valor de R$ 500 mil, a intenção da Prefeitura de Venâncio Aires é estruturar um Centro Dia/Centro de Conivência do Idoso, popularmente chamado de “Creche do Idoso”. O valor foi garantido no ano passado pelo deputado federal Heitor Schuch (PSB).

Nesta sexta-feira, o secretário municipal de Habitação e Desenvolvimento Social, José Arnildo Camara disse que o projeto está em fase de elaboração e que a intenção é dar o pontapé inicial ainda neste ano. Ele destacou ainda que para a Creche do Idoso é estudada uma parceria com a União das Associações de Moradores de Venâncio Aires (Uamva). “O espaço da Uamva poderia ser revitalizado e lá poderia ser estruturada a Creche do Idoso. Já conversamos com moradores próximos que elogiaram a iniciativa. Agora negociamos com a própria Uamva essa parceria”, argumentou Camara.

O prefeito Giovane Wickert explicou, na oportunidade do anúncio, que a proposta consta em seu plano de governo e tem a finalidade de atender pessoas da melhor idade cujos filhos e netos precisam trabalhar e não têm um lugar para deixá-las. A intenção é oferecer na Cheche do Idoso atividades e oficinas.

A presidente do Conselho Municipal do Idoso de Venâncio Aires, Bárbara Lúcia Hickmann, também está atenta à situação. Ela informa que é um espaço que vai oferecer atendimento com profissionais capacitados, de forma diurna, à famílias com direitos violados, avaliadas e encaminhadas pelos serviços de assistência social Cras ou Creas, porém evitando o abrigamento em instituições de longa permanência. “É um atendimento voltado para a autonomia do indivíduo, buscando a superação das situações que levaram a violação de direitos”, informou.

Fonte: Anahp




Obrigado por comentar!
Erro!