Hospital das Clínicas busca viés empreendedor
19/07/2019
Em meio às discussões sobre captação de recursos privados às universidades federais, o Hospital das Clínicas (HC), ligado à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - está investindo num complexo de saúde que pretende reunir startups, grandes empresas, investidores e pesquisadores.

Um dos objetivos da iniciativa é que as pesquisas acadêmicas produzidas internamente possam se transformar em negócios, com ajuda das startups. Estas também poderão criar projetos sob demanda do Hospital das Clínicas. Os parceiros ficarão instalados no mesmo espaço, dentro das dependências do HC, considerado o maior centro hospitalar da América Latina.

"Hoje, não temos um viés empreendedor. Há pesquisas muito interessantes, mas elas ficam restritas à academia, não são escaladas para a sociedade", disse Marco Bego, diretor de inovação do Hospital das Clínicas. "Há falta de recursos públicos e acredito que um caminho são as parcerias com o setor privado para desenvolvimento das pesquisas", complementa Bego, que é engenheiro.
Atualmente, o HC desenvolve cerca de 200 linhas de pesquisa, sendo que 100 têm potencial para se tornarem um negócio. "Muitas linhas de pesquisa não são de natureza comercial. E a academia precisa estar presente para investir nesses estudos também", diz Bego.

O complexo de saúde, batizado de Distrito InovaHC, será tocado em parceria com a Distrito, empresa especializada em reunir interessados em inovação.

As startups vão ter acesso a todas as instalações do HC, que realiza 1 milhão de atendimentos ambulatoriais e 120 mil cirurgias de alta complexidade.
O espaço, a ser inaugurado em setembro, terá capacidade para abrigar cerca de 20 startups, com 150 pessoas. Outras empresas iniciantes também poderão trabalhar em conjunto com o Distrito InovaHC.

"No Brasil, há mais de 300 startups focadas em saúde. Essa é uma das áreas que mais vêm demandando inovação. É um setor um pouco mais conservador até porque se trata de vidas, saúde. Mas agora a demanda é muito grande", disse Rodrigo Araujo, sócio da Distrito, que também possui centros semelhantes nas áreas de finanças, publicidade e varejo.

Batizado de Distrito InovaHC, o novo complexo de saúde está recebendo investimentos de R$ 2,5 milhões da própria Distrito e das empresas AstraZeneca, Abbott, Alliar, KPMG, Cremer e Mafra. "As mantenedoras também estarão com suas áreas de inovação dentro do hub e precisam abrir suas estratégias de inovação para que seja efetivamente um ambiente de compartilhamento de conhecimento", disse Araujo.
Inicialmente, o complexo de inovação contará com uma área de 900 metros quadrados. Há planos de chegar a 3 mil.
 
Fonte: Valor




Obrigado por comentar!
Erro!