Diretor da Anahp, Marco Aurélio Ferreira afirma que futuro da saúde está na telemedicina
26/08/2019

O diretor-executivo da Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados), Marco Aurélio Ferreira, conversou com a Hospitalar sobre o futuro do setor da saúde. Ele comentou que uma das apostas para o próximo ano é a prática da telemedicina, tecnologia cada vez mais acessível à população. Acredita-se que o investimento neste tipo de tecnologia é primordial para esse processo, uma vez que a tecnologia tem andado de mãos dadas com a prática da medicina.
Confira a entrevista na íntegra:

Hospitalar: Quais as tendências do setor da saúde para 2020?

Marco Aurélio Ferreira: Assim como outros setores, a saúde também tem expectativas de que haja uma retomada de crescimento da economia, o que proporcionará um impacto positivo para o nosso setor, como a geração de empregos e aumento dos beneficiários de planos de saúde.

Além disso, há duas discussões importantes que têm pautado o setor saúde há algum tempo e que é possível acompanhar evoluções importantes. Uma delas é o modelo de remuneração na saúde suplementar. Há pelo menos 15 anos se discute um modelo de remuneração que seja pautado na valorização do que é o melhor cuidado para o paciente, colocando-o no centro desse cuidado, ou seja, que leve em conta a qualidade da atenção. Na Anahp, por exemplo, nós temos um programa importante e fundamental para repensar a lógica de remuneração do setor, que é o “Desfechos Clínicos”, baseado na metodologia do ICHOM (International Consortium for Health Outcomes Measurement), e que está bastante evoluído. O grande propósito desse programa é medir os resultados que importam para o paciente, parte fundamental da equação de valor de Porter. Além disso, a Anahp também tem trazido a temática para seus eventos e publicações.

O segundo tema que terá um grande impacto para a saúde é a Implementação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que será um grande desafio para o setor em 2020, pois deverá entrar em vigor a partir do mês de agosto, e os hospitais precisarão se preparar e se adaptar. A Anahp tem, desde o início da discussão, o objetivo de auxiliar os hospitais nesse processo por meio da promoção de debates e workshops sobre o tema, além de estar desenvolvendo um manual sobre a lei e seus impactos.

H: Quais as apostas para o setor no próximo ano?

MAF: A Anahp entende que a telemedicina é uma das grandes apostas para o setor nos próximos anos. O debate está sendo cada vez mais ampliado e a sociedade está madura para este diálogo. A tecnologia está cada vez mais acessível e a população mais consciente dos benefícios que ela pode trazer para a sua saúde e para sua vida de forma geral.
Além disso, quando falamos em apostas para o setor, a primeira coisa que me vem à cabeça é a capacidade de gerar informações que possam nos ajudar a entender melhor o perfil do nosso paciente, as necessidades deste paciente, ou seja, a construir um sistema de saúde que consiga suprir, de maneira efetiva e preditiva, as necessidades daquela população.

A Anahp sempre teve em seu DNA a cultura de medir resultados. O SINHA (Sistema de Indicadores Hospitalares Anahp) foi um dos primeiros produtos desenvolvidos pela Associação, que nasceu praticamente com a fundação da entidade, com o propósito de conhecer a realidade de seus associados. Hoje, o SINHA reúne mais de 300 variáveis e cerca de 250 indicadores de performance, distribuídos nos seguintes eixos: assistenciais, gestão de pessoas, TI, sustentabilidade, econômico-financeiro, entre outros, e conta com a adesão de 95% de seus associados informando dados mensalmente para o sistema. Outra vertente do SINHA são os indicadores de desfechos, conforme mencionado na pergunta anterior, e que passaram a ser incorporados na plataforma SINHA em 2017. Hoje, já são 3 standard sets (patologias) em acompanhamento, e aproximadamente 16% dos hospitais participam da iniciativa.

H: O que se pode esperar do mercado em relação aos avanços tecnológicos?

MAF: Gigantes mundiais do setor tecnológico estão investindo em soluções voltadas à saúde, o que nos chama a atenção positivamente. Além disso, a inteligência artificial tem estado cada vez mais presente no setor hospitalar e isso vai desde a parte administrativa, passando pelos processos do dia a dia, pelos equipamentos, soluções e até medicamentos. Acreditamos que daqui em diante, as inovações acontecerão numa velocidade muito maior do que estamos acostumados a ver até hoje.

Pensando nisso, criamos, no ano passado, um programa de startups que tem como objetivo dar visibilidade a soluções inovadoras em saúde. Os 10 melhores projetos serão convidados a serem apresentados durante o Congresso Nacional de Hospitais Privados (CONAHP).

O cenário em que vivemos tem sofrido constantes mudanças, e a tecnologia é primordial para que esse processo seja contínuo e positivo, principalmente para o paciente, que é nossa maior prioridade.

Parceria Anahp e Hospitalar

A Anahp é parceira de longa data da Hospitalar e, todos os anos, realiza em seu estande e em seus congressos lançamentos de publicações, encontros com gestores e difusão de boas práticas de gestão.

Fonte: Anahp




Obrigado por comentar!
Erro!
Contato
+55 11 3044 4440
+55 11 3045 5173
Av. Rouxinol, 84, cj. 92
Indianópolis - São Paulo/SP