A nova Unidade Cardiovascular (UCV) no Mater Dei Contorno
02/10/2019

A UCV engloba as Unidades Coronariana, de AVC e Pós-operatória reforçando a referência da Rede Mater Dei no tratamento das patologias cardiológicas, neurológicas e neurovasculares, de forma integrada e multidisciplinar.

Para o presidente da Rede Mater Dei, Henrique Salvador, “a nova UVC vem somar ao que já temos hoje na terapia intensiva e nas demais equipes da Rede para avançar ainda mais na qualidade da assistência e segurança dos pacientes. É resultado de um amadurecimento e evolução da interação das equipes médicas da cardiologia, da terapia intensiva, da neurologia e da vascular”, afirma.

O Mater Dei Santo Agostinho já possui a Unidade Cardiovascular. A implantação na Unidade Contorno vem ao encontro desse conceito de rede em que equipes compostas por médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas e fonoaudiólogos trabalham integrados para a melhor assistência ao paciente e à sua família. “Estamos comemorando e colocando toda a diretoria da Rede à disposição dessa equipe que encampou a ideia e está conosco nesse novo serviço. O Mater Dei da Contorno foi planejado, desde a sua concepção, para ser um hospital referência nos atendimentos de urgência e emergência, com tecnologia e fluxos diferenciados.

A UCV vem como um importante instrumento para tratar desses complexos pacientes de forma ainda mais uniforme e sinérgica”, afirma José Henrique Dias Salvador, diretor de operações Mater Dei Contorno. As equipes médicas são coordenadas por Anselmo Dornas e Cláudio Dornas que designaram Andrea Bahia e Sérgio Luís Ramos Pimenta para representar a Terapia Intensiva, a Neurologia está presente através da equipe coordenada por Julia Kallas e a cardiologia pela equipe coordenada pelo médico Luiz Guilherme Passaglia (Cardiologia). Os cirurgiões cardiovasculares, endovasculares e neurorradiologistas pelas equipes atuantes no Hospital Contorno. Integram ainda ao time, as equipes da Psicologia, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Enfermagem. E é claro que a unidade está inserida em uma estrutura hospitalar de alta complexidade que dá suporte 24 horas com os serviços de medicina diagnóstica e especialistas de várias áreas médicas.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL ALIADA À EXPERTISE MÉDICA DA REDE MATER DEI

A Rede Mater Dei de Saúde, de forma pioneira em Minas Gerais, adquiriu o software RAPID que vem integrar e ampliar a janela terapêutica do protocolo de Acidente Vascular Cerebral (AVC) adotado em toda Rede Mater Dei, o que inclui, além da unidade Contorno, a unidade Santo Agostinho e Betim-Contagem. “Um novo estudo concluiu que uma em cada quatro pessoas acima de 25 anos poderá ter um AVC em sua vida. Cada vez mais é importante que as Instituições de Saúde invistam em tecnologia para o melhor desfecho clínico: que significa não só salvar a vida deste paciente, mas também devolver este paciente à família e à sociedade sem sequelas ou com o menor número de sequelas possíveis.

É isso que estamos fazendo. Disponibilizando para os nossos pacientes a mais nova tecnologia utilizada no mundo e validada por resultados de estudos científicos. A pedido das equipes da neurologia clínica, neurocardiologia e neurocirurgia trouxemos para os nossos hospitais o Rapid, um software que acoplado aos nossos tomógrafos proporciona mais oportunidade e opções de tratamento para nossos pacientes e um suporte essencial para melhor decisão clínica de nossos médicos. Assim, integramos tecnologia, processos administrativos e clínicos assistenciais integrados para atingirmos a excelência.

O grande desafio agora é educar a população para os sinais e sintomas de AVC para que os pacientes cheguem o mais precocemente a nossa emergência – pois estamos prontos com o que há de mais moderno, e com as melhores equipes para atender estes pacientes, da porta, a medicina diagnóstica, passando pela neuro- intervenção endovascular e a recuperação em unidades próprias de recuperação para os casos de acidentes vasculares cerebrais e doenças cardíacas”, afirma Márcia Salvador, vice-presidente Assistencial e Operacional da Rede Mater Dei de Saúde.

O Rapid permite avaliação rápida, segura e precisa da área do cérebro que tem possibilidades de ser recuperada após uma desobstrução do fluxo. Com a aquisição do Rapid, a equipe tem condições de definir a área cerebral que está em sofrimento, mas que ainda se encontra na  penumbra isquêmica, o estágio aonde ainda não houve morte neuronal e que, com a intervenção adequada no tempo adequado, pode se recuperada.

Como é o Tempo Porta-agulha para AVC isquêmico

1) Paciente chega ao Pronto-socorro do Hospital
2) No atendimento inicial há a suspeita de AVC, uma equipe especializada é notificada sobre a situação do paciente
3) Rapidamente uma tomografia computadorizada é realizada e o diagnóstico dado a partir dos resultados do exame
4)  Aplicação da trombólise endovenosa e outras intervenções de acordo com o diagnóstico

Tempo Porta-agulha com o Software

1) Paciente chega ao Pronto-socorro do Hospital ou o Paciente pode estar em outro serviço de saúde, mas que não tenha a estrutura da Rede para tratamento de AVC
2) Paciente no PS da Rede: No atendimento inicial há a suspeita de AVC, uma equipe especializada é notificada sobre a situação do paciente
3) Rapidamente uma tomografia computadorizada é realizada e o diagnóstico dado a partir dos resultados do exame ou a equipe, no caso de pacientes externos, recebe a tomografia realizada em outro hospital e faça o diagnóstico e se estude o tratamento enquanto o paciente é transferido para um dos hospitais da Rede
4) Em tempo real, a equipe já recebe em seus dispositivos móveis, o resultado do exame do paciente com a análise feita pelo software divididas por cores. Em vermelho, a área já “isquemiada”, ou seja, que não tem chance de recuperação.  As demais cores demonstram as áreas do cérebro sem morte neural, podendo ser recuperadas 
5) Aplicação da trombólise endovenosa e outras intervenções de acordo com o diagnóstico “Com essa tecnologia, as equipes atuam de forma integrada desde a emergência, passando pela Medicina Diagnóstica, Hemodinâmica e Unidade Cardiovascular de terapia Intensiva  (UCV). Podemos tomar decisões mais objetivas e de maneira segura na assistência ao paciente com AVC minimizando as chances de sequelas, aumentando inclusive em até 24 horas a janela de tratamento”, destaca Felipe Salvador Ligório, diretor médico da Rede Mater Dei. 




Obrigado por comentar!
Erro!