Novo teste avalia mutações presentes no tumor e individualiza o tratamento
24/10/2019

Alexey Aleshin, diretor médico de oncologia da Natera, irá abordar a importância da detecção e cálculo da quantidade de câncer no organismo para individualizar o acompanhamento terapêutico

Diferente de uma biópsia líquida padrão, o teste de DNA de tumor circulante (ctDNA)[1] Signatera, propõe a avaliação do perfil genético do tumor para a determinação individualizada de um painel de genes por Biópsia Líquida direcionado ao paciente, o que é chamado de assinatura genética. Totalmente inovador, o exame otimiza a efetividade do esquema terapêutico (cirurgia + quimioterapia), ou atua como monitoramento, para detectar recidiva tumoral precocemente e melhorar o prognóstico.

A novidade será lançada, com exclusividade no Brasil, no simpósio Signatera test: use of ctDNA as a biomarker for monitoring treatment response and molecular recurrence in early-stage and metastatic cancers, que acontecerá no dia 24 de outubro, durante o XXI Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica, promovido pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC). A palestra será ministrada por Alexey Aleshin, M.D., MBA, diretor médico de oncologia da Natera, líder global em testes ctDNA, empresa parceira da GeneOne.

Ao fornecer a cada indivíduo um exame de sangue personalizado, adaptado à assinatura exclusiva de mutações clonais encontradas em seu tecido, o teste, que está disponível para uso clínico e de pesquisa, é indicado para o monitoramento de qualquer tumor sólido, principalmente os carcinomas: colorretal, mamário, pulmonares (não-pequenas células) e de bexiga (urotelial músculo invasivo). Totalmente personalizado, o teste utiliza 16 mutações somáticas clonais e sub-clonais encontradas com maior frequência no tumor, e não no genoma do paciente.

Sobre a Dasa

A Dasa é líder em medicina diagnóstica no Brasil, maior empresa do setor na América Latina – atua no Brasil e na Argentina – e 5ª maior no mundo, com foco em análises clínicas, diagnóstico por imagem e medicina genômica. A companhia conta com um time de mais de 20 mil colaboradores e aproximadamente 2 mil médicos, renomados no Brasil e no exterior, que atuam em uma rede robusta e capilarizada de cuidados com a saúde em todo o país. Por meio de suas mais de 40 marcas e mais de 800 laboratórios – como Delboni Auriemo, Lavoisier Diagnósticos, Alta Excelência Diagnóstica, SalomãoZoppi Diagnósticos, Sérgio Franco, CDPI, Lâmina, Bronstein, Frischmann, entre outros –, a Dasa dá acesso a 5 mil tipos de testes e realiza mais de 250 milhões de exames por ano.

Considerado hoje um dos mais importantes players de Saúde, a Dasa se encontra em uma posição estratégica para realizar e acelerar a visão de futuro e transformar a saúde com uma visão agregadora, humana, eficiente e fortemente inovadora, orientado para a medicina absolutamente personalizada, individualizada e de precisão. Alguns alicerces viabilizam sua vantagem competitiva: o corpo clínico e científico altamente qualificado; o uso da tecnologia aplicada aos dados, a capilaridade e o modelo de gestão. Nesse sentido, a companhia trabalha para criar valor para toda a cadeia por meio da promoção de conexões inteligentes para a saúde.

[1] DNA tumoral circulante (ctDNA) carrega as mesmas informações genéticas do próprio câncer e, portanto, as mesmas mutações das células neoplásicas, o que faz com que, na prática, a biópsia líquida possa ser usada como alternativa à biópsia tecidual para a detecção de alterações genéticas clinicamente relevantes do tumor.





Obrigado por comentar!
Erro!