Telemedicina é solução para manter o atendimento e a saúde financeira de consultórios
30/07/2020

Com a pandemia do novo coronavírus e o isolamento social, muitos médicos viram o fluxo mensal de atendimento de seus consultórios despencar. Essa situação remete a questões relativas à manutenção do atendimento de pacientes e de sustentabilidade financeira desses profissionais que também são empreendedores de seu negócio. Esse é o caso da médica ginecologista Sandra Martins, no Rio de Janeiro, que teve uma queda de 70% do volume mensal de atendimentos já no início da pandemia. A solução encontrada por Sandra foi o Consultório Virtual da Conexa Saúde. “Com a teleconsulta foi possível manter mais da metade dos atendimentos, garantir uma receita mensal, além do pagamento dos custos fixos do consultório”, diz.

Para o médico clínico geral e cardiologista, Rodrigo Mousinho, o Consultório Virtual da Conexa Saúde também foi a solução encontrada para retomar o atendimento de seus pacientes. Cerca de 50% da clientela de seu consultório está sendo atendida com o recurso durante a pandemia. “Quebrei minha resistência em relação à telemedicina e a experiência tem sido positiva”, afirma. Rodrigo conta que a teleconsulta tem sido útil para fazer triagem e atender presencialmente apenas os pacientes que realmente precisam. “Atuo com medicina de família e minhas consultas envolvem muita conversa com o paciente. Quando realizo uma consulta presencial que no meu caso tem em média uma hora, cerca de 50 minutos são dedicados a ouvir o paciente e 10 minutos ao exame físico. Assim, o atendimento por teleconsulta na plataforma da Conexa Saúde superou minhas expectativas”, afirma. Com base nessa experiência positiva, o médico que era resistente a esse tipo de atendimento, pretende manter a telemedicina mesmo depois que a pandemia passar para casos como prescrição remota, retornos para comentar exames

E como é feita uma consulta ginecológica por telemedicina?

De acordo com Sandra, nas consultas ginecológicas, a telemedicina não permite apenas realizar o exame preventivo, que exige que o médico toque a paciente. Mas a ginecologista tem utilizado a teleconsulta de maneira eficiente, além de triagem antes de encaminhar o paciente para uma consulta presencial ou pronto atendimento, nos casos de endometriose, cólica menstrual, alterações em mamas, dúvidas de acompanhamento pré-natal etc. “Minha experiência com a telemedicina revelou que em uma teleconsulta perguntamos mais para o paciente sobre sintomas, seus hábitos e história. Acho que médico e paciente ficam ainda mais próximos”, avalia.

O Consultório Virtual da Conexa Saúde oferece para o médico pessoa física e pequenas clínicas a mesma segurança e robustez da plataforma tecnológica da startup consolidada pela utilização de grandes empresas. “A diferença está em um enfoque muito maior para a experiência e as necessidades do profissional individual autônomo ou para as clínicas”, informa Miguel Barrella, head de

Consultórios e Clinicas Virtuais da Conexa Saúde. Em apenas dois meses, desde o lançamento, o Consultório Virtual já está sendo utilizado por mais de 3 mil médicos. Para aderir à solução, o médico paga uma assinatura mensal e pode usufruir de todas as facilidades: teleconsultas contemplando a jornada completa do paciente, com prontuário integrado, prescrição digital, agendamento virtual, pagamento de consulta com cartão de crédito e equipe de suporte 24 horas. “Excepcionalmente, no período de pandemia, estamos oferecendo a plataforma gratuitamente para o médico com objetivo de ajudá-lo na manutenção do sustento do seu consultório e do acompanhamento de seu paciente”, afirma.





Obrigado por comentar!
Erro!
Contato
+55 11 3044 4440
+55 11 3045 5173
Av. Rouxinol, 84, cj. 92
Indianópolis - São Paulo/SP