Medicamento com anticorpo da covid-19 reduz hospitalizações, diz Eli Lilly
16/09/2020

Um medicamento com base em anticorpos, derivado do sangue de um sobrevivente da covid-19 nos Estados Unidos, reduziu a taxa de hospitalização, na comparação com quem fez o teste com placebo, em um novo estudo com pacientes recentemente diagnosticados com a doença, disse a Eli Lilly, um dos laboratórios desenvolvedores da droga. 

A Lilly, sediada em Indianápolis, afirmou hoje que os resultados preliminares reforçaram o potencial da droga para ajudar os pacientes da covid-19, e a empresa vai discutir com os reguladores se há evidências suficientes para apoiar a autorização da terapia para uso de emergência durante a pandemia. 

 

 
O laboratório está fabricando a droga e pode fazer mais de 100 mil doses até o fim deste ano, disse o diretor científico da companhia, Daniel Skovronsky, em entrevista. 

A droga é conhecida como anticorpo porque é uma versão modificada dos defensores moleculares do sistema imunológico que levam o mesmo nome. 
 

Os resultados do estudo de fase 2 são “uma prova de conceito que mostra que um anticorpo contra o vírus pode neutralizar o vírus em pacientes, o que pode ter um efeito benéfico sobre os sintomas e hospitalizações”, disse Skovronsky. 
 

A Lilly é uma das várias empresas que desenvolvem medicamentos com anticorpos como uma ponte potencial para uma vacina, algo que pode melhorar o tratamento de pacientes doentes e prevenir doenças em pessoas com risco de infecção, como funcionários de clínicas de repouso e residentes. 


 

Outras empresas que trabalham em terapias de anticorpos da covid-19 incluem Regeneron Pharmaceuticals e GlaxoSmithKline. 
 

Em junho, a Lilly começou a testar a droga em pessoas que foram recentemente diagnosticadas e tinham covid-19 leve a moderado, mas não estavam no hospital. As pessoas no estudo receberam uma única infusão intravenosa da droga Lilly ou um placebo. 
 

A Lilly disse que cinco dos 302 indivíduos que tiveram a droga injetada, ou 1,7%, foram posteriormente hospitalizados ou visitaram um pronto-socorro, em comparação com nove das 150 pessoas que receberam um placebo, ou 6%. 
 

A Lilly também disse que os pacientes que receberam a droga tiveram melhora mais rápida dos sintomas em comparação com aqueles que receberam um placebo. 
 

No geral, apenas o meio dos três níveis de dose da droga atingiu o objetivo principal do estudo de reduzir a quantidade de vírus, ou carga viral, em comparação com um placebo 11 dias após a dosagem, disse a empresa. 
 

A maioria das pessoas no estudo, incluindo aquelas que receberam placebo, tiveram uma eliminação viral quase completa no 11º dia. Isso tornou difícil mostrar que a droga tinha efeito sobre a carga viral naquela época, disse Skovronsky. 
 

Nenhum paciente no estudo morreu ou precisou de ventilação mecânica, notou a empresa. 
 

Na segunda-feira, a Lilly disse que seu medicamento para artrite reumatóide Olumiant ajudou pacientes hospitalizados da covid-19 a se recuperar mais rápido em um novo estudo. 

Fonte: Valor




Obrigado por comentar!
Erro!
Contato
+55 11 3044 4440
+55 11 3045 5173
Av. Rouxinol, 84, cj. 92
Indianópolis - São Paulo/SP